Para quem é o seu Coworking? – Definindo o posicionamento de marca em 5 passos

Nem todo coworking tem o mesmo público. Veja como o posicionamento de marca afeta o seu modelo de negócio.

Apesar de funcionarem com a premissa semelhante de oferecer espaços de trabalho compartilhados para empresas e empreendedores impulsionarem seus negócios e reduzirem custos, nenhum coworking é igual a outro. Cada estabelecimento possui suas peculiaridades em relação às suas operações, seu público e sua proposta de valor. Nem todos oferecem os mesmos benefícios ou almejam, em seus modelos de negócio, conquistarem o mesmo mercado. É preciso ter claro o escopo de ação e principalmente o perfil do seu coworking.

O público-alvo do setor de coworkings não é homogêneo. Apesar do conceito ter se consolidado na comunidade de profissionais da área tecnológica, a disseminação do modelo fez com que profissionais de muitos outros setores se interessassem pela ideia. Nichos de mercado como salões de beleza ou coworkings que recebem crianças são um exemplo notável das inúmeras possibilidades que um espaço de trabalho compartilhado pode assumir.

A construção do branding e do posicionamento da sua marca são importantíssimos para a definição de sua linha conceitual e atrair o público que se encaixa com o produto que você está oferecendo. Mas antes, faça uma reflexão consigo mesmo: para que você está montando um coworking? Se o seu principal intuito é construir uma comunidade de um determinado segmento do mercado, seu foco será nas pessoas; mas se você quer gerar um negócio com renda a curto prazo, sua estratégia será outra.

Essa decisão não precisa ser definitiva. Não há categorias limitadas para seu negócio se encaixar. O importante, porém, é que as ações tomadas pela gestão sejam direcionadas a propósitos claros. Definir seus valores de mercado e investir na construção da identidade do seu negócio pode não ser uma tarefa fácil.

Separamos 5 passos para você ter seu posicionamento da marca e tomar decisões assertivas:

 

  1. Defina sua buyer persona

Foto: Edge Clik

Nunca é demais apertar essa tecla. Um erro que pode diminuir seu impacto no mercado é assumir que você já conhece seu público-alvo e suas principais demandas. Tenha calma e invista na pesquisa. Sua persona faz parte de um segmento específico? O que ela espera encontrar em um coworking? São times de inovação de grandes empresas, nômades digitais ou startups?

Além da pesquisa, você também pode investir tempo em validação, que é uma metodologia trazida por Erick Ries no livro “The Lean Startup”. A validação é uma forma de rápida e de baixo custo para entender se o seu público-alvo tem interesse e recursos para comprar sua solução.

A validação para um coworking, pode ser feita de maneira simples. Uma forma que costuma ser eficaz é a construção de uma landing page com uma comunicação direcionada para o seu público-alvo. Após o lançamento da landing page, mensure a taxa de abertura e também o número de cliques no botão “consulte nossos preços”.

 

2. Identifique sua proposta de valor

Foto: Insight Higer ED

Seu produto não é simplesmente um imóvel administrado por uma pessoa responsável. De que forma você está agregando valor ao seu coworking? Esse é o momento de definir o “porquê” do seu negócio. É o “porquê” que vai ser o carro-chefe de todas as suas decisões.

Nesse momento, também é importante pensar em agregar valor ao seu coworking além da comercialização de salas, ou seja, você também pode oferecer serviços em seu portfólio

 

3. Construa uma mensagem que se comunique com sua persona

Pedro Paricio, Dialogue

Foto: Pedro Paricio

Qual é a mensagem que seu coworking quer passar? Identificar as dores de sua persona é um jeito assertivo de saber como você pode ajudá-la. Não adianta criar um espaço sem áreas comuns ou que tenha pouco incentivo à interação se os seus coworkers demandam esse tipo de infraestrutura. Seu negócio deve dialogar com o  perfil de cliente que pretende atingir.

 

4. Defina prioridades da infraestrutura do seu coworking

Foto: Plurall Coworking

Depois que você definiu a sua proposta de valor e a sua buyer persona, pense em qual infraestrutura será compatível para corresponder ao produto que você quer entregar. Será que uma decoração mais formal ou descolada? Mais salas de reuniões ou um grande auditório? Vale a pena colocar cabines privativas para ligações?

 

5. Delimite seu posicionamento estratégico

Foto: Social Talent

Quais serão os próximos passos para manter meus clientes (ou minha comunidade) satisfeitos? Que ações devo fazer para seguir minha proposta de valor? Definir o crescimento do seu negócio é mantê-lo sob controle. Tenha um plano de ação para os próximos passos do seu negócio, caso contrário a chance de colocar tudo a perder é grande.

Definir um posicionamento de marca não se trata apenas de oferecer um espaço em que os profissionais pagam mais barato e se livrem da burocracia de alugar um imóvel. São benefícios de sua proposta de valor. Mas qual é o motto de seu coworking? O que te move? Por que você acredita nesse negócio?

Seja qual for a linha conceitual do seu coworking, você vai precisar de uma ferramenta de gestão e organização que automatiza processos e forneça dados sobre o andamento do seu negócio periodicamente. O Sistema de Gestão WorkinHub é customizável e organiza tudo que você precisa em um só lugar, sem a bagunça das planilha de Excel ou a confusão das agendas que ficam na recepção. Conheça o sistema e otimize os processos do seu coworking.